Pintando o SeteAzul

Especialistas médicos de diferentes áreas falam sobre os impactos da pandemia na vida dos brasileiros

Por Mais Ceará em 16/10/2020 às 15:34:33

 

Tendo uma taxa de mortalidade de 71,7 por grupo de 100 mil habitantes, tais números s√£o maiores que os registrados em países vizinhos, como a Argentina com 53,64. Entretanto, est√° abaixo da Bolívia (73,18).

Mas, qual é o cen√°rio da pandemia visto por especialistas médicos, como cardiologistas, pediatras, entre outros? Acompanhe o que eles disseram:

*

Rose Fukue – Psicóloga

V√°rios aspectos na vida das pessoas foram afetados, principalmente o psicológico, com o aumento da ansiedade, depress√£o, estresse, conflitos conjugais. A pandemia potencializou problemas que j√° existiam. Somos obrigados, a partir de agora, a fazer adapta√ß√Ķes constantes. Sendo assim, o estresse faz com que as pessoas n√£o tolerem mais estar em casa, mas por outro lado elas sabem que ainda n√£o é hora de sair às ruas

Alessandra Gazola – Cardiologista

O número de morte por doen√ßas cardíacas na pandemia aumentou cerca de 50% segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia em comparativo a 2019. A popula√ß√£o tem medo de procurar o atendimento médico pelo risco de contamina√ß√£o. Retardar esse acesso pode custar uma vida. Portanto, opte pela alimenta√ß√£o saud√°vel, tomada das medica√ß√Ķes, caso necess√°rio, e atividade física regular mesmo que dentro de casa. E procure um cardiologista quando necess√°rio.

Raquel Constantino – Endocrinologista

Com a pandemia, as pessoas ficaram mais sedent√°rias. Como orienta√ß√£o, aponto para a volta do bom costume nos h√°bitos alimentares, criar uma rotina dentro do Home Office, ou se sai de casa para trabalhar, leve a própria comida. E retome as atividades físicas gradativamente, procurando sempre a ajuda de um médico, de um nutricionista, de um personal.

Paula Sellan – Pediatra

Os reflexos da pandemia na vida e saúde das crian√ßas s√£o muitos. Em primeiro lugar est√° o comprometimento psicológico que a pandemia causou. Elas foram privadas do contato com a família, amigos, escola. Outro aspecto s√£o as crian√ßas que faziam algum tipo de tratamento, acompanhamento. Por outro lado, todas foram poupadas da forma grave da covid-19. Para esse momento, em que conseguimos alcan√ßar um declínio no número de casos, devemos investir em programas ao ar livre e sem aglomera√ß√Ķes.

Claudio Guimar√£es – Urologista

Acredito que os profissionais da saúde ter√£o que se reinventar nas suas profiss√Ķes. Consultas online, coleta de exames em domicílio, exames para detec√ß√£o do coronavírus antes da interna√ß√£o hospitalar ser√£o rotina. O profissional da saúde vai ter que respeitar o distanciamento social na hora da consulta, mas tocar no paciente ainda ser√° necess√°rio. Ter√£o que usar m√°scaras e luvas ao examinar o paciente. Alguns hospitais exigem coleta do PCR para detec√ß√£o do coronavírus a cada 15 dias

Anne Caroline – Ginecologista e Obstetra

O medo da contamina√ß√£o trouxe impactos na vida das gestantes, que s√£o consideradas grupo de risco para covid-19, assim como para outras infec√ß√Ķes. Por ser uma doen√ßa ainda nova o bom senso acaba sendo o fator principal no manejo dessas pacientes. O seguimento pré-natal é fundamental mesmo em tempos de pandemia. O que se pode fazer em paciente de baixo risco é realizar um espa√ßamento maior entre as consultas, mas sempre visando realizar o número mínimo de 06 consultas, preconizado pela OMS e pelo Ministério da Saúde.

Danielle Miyamoto – Mastologista

Durante a pandemia houve uma diminui√ß√£o significativa da procura dos atendimentos para exames considerados de "rotina". Alguns tipos de c√Ęncer de mama est√£o sendo diagnosticados agora porque ficaram maiores e as mulheres perceberam alguma altera√ß√£o palp√°vel na mama. Ainda assim o c√Ęncer de mama é trat√°vel, mas o tamanho do tumor é maior. A recomenda√ß√£o é que as mulheres procurem atendimento caso sintam algo diferente em sua mama.

Norton Sayeg – Geriatra

Com o avan√ßo da medicina muitos pacientes conseguiram superar a covid-19. Porém o que temos notado frequentemente, é que pessoas muito idosas, acima de 70 anos de idade, est√£o saindo dos hospitais muitos debilitadas. A vitória é a reabilita√ß√£o total das pessoas. Portanto, n√£o deixe de consultar seu médico. Após a recupera√ß√£o do vírus, é importantíssimo que se tenha cuidados adicionais para que outros sintomas n√£o se agravem e n√£o retornem.

Alessandro Schuffner РReprodução Assistida

A recomenda√ß√£o é adiar a gravidez, tratamento para engravidar, desde que n√£o seja tempo sensível (baixa reserva ovariana, ou a quando a paciente n√£o aguenta mais a espera). Tudo isso tem que ser levado em considera√ß√£o para efetuar um tratamento. Contudo, é um vírus novo, tem um ano. Em medicina um ano n√£o é nada

Vanessa Moreira – Biomédica

O que eu observo dentro da minha especialidade s√£o os danos causados diretamente nas células, devido à dificuldade de adapta√ß√£o. Portanto, cuide da sua saúde intestinal, respire, descanse e exercite-se!

Publicado primeiro em Banda B ¬Ľ Especialistas médicos de diferentes √°reas falam sobre os impactos da pandemia na vida dos brasileiros

Fonte: Banda B

CEP

Coment√°rios