Vai dar certo

Nunes Marques pede vista e adia julgamento de eleição indireta de governador em Alagoas

Por Mais Ceará em 13/05/2022 às 13:27:11

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Nunes Marques, pediu vista no processo que questiona a realização de uma eleição indireta para governador e vice-governador no Alagoas. No momento da solicitação, Edson Fachin, Dias Toffoli, Alexandre de Moraes e Ricardo Lewandowski já haviam votado e seguido o parecer do relator Gilmar Mendes. A eleição indireta para governador-tampão foi proposta pela Assembleia Legislativa depois que o ex-governador Renan Filho (MDB) renunciou ao cargo para concorrer ao Senado nas eleições que acontecem em outubro deste ano. Luciano Barbosa (MDB), que ocupava o cargo de vice-governador, já tinha abandonado o mandato para assumir a prefeitura de Arapiraca, em 2020. Com a votação indireta, cabe aos deputados estaduais escolherem quem substituirá o governador e o vice até o final do ano, mas o diretório estadual do PSB acionou a Justiça contestando a divisão na eleição, segundo a qual as disputas para governador e vice seriam separadas, e o voto ser aberto, o que, segundo o partido, violaria a confidencialidade do voto. O presidente da Assembleia Legislativa, Marcelo Victor, não quis assumir também porque irá se candidatar em outubro. Quem ocupa o cargo interinamente é Klever Loureiro, presidente do Tribunal de Justiça do Estado. Em seu voto, o relator atendeu a solicitação que as chapas sejam únicas, ou seja, que tenham candidatos a governador e vice, manteve a previsão de votos em abertos, isto é, públicos. Mendes também estabeleceu a reabertura do prazo para as inscrições e vetou que pessoas não-filiadas a partidos pudessem se candidatar.

Fonte: JP

Comunicar erro
CAMES

Comentários

Pintando o SeteAzul