Vai dar certo

Variante ômicron frustrou planos da Prefeitura de Curitiba de liberar uso da máscara

Por Mais Ceará em 08/12/2021 às 20:35:13

“A gente tinha uma pretens√£o, mas o vírus tem nos desafiado. A gente tinha uma pretens√£o, talvez se n√£o tivesse a variante ômicron, de liberar o uso da m√°scara em ambientes externos agora em dezembro. Mas, com a chegada da ômicron, tudo ficou em stand-by. Até tem uma recomenda√ß√£o da Secretaria de Estado da Saúde da manuten√ß√£o e a gente est√° alinhado da mesma forma”, disse Hu√ßulak.

Nesta semana, Curitiba registrou menos de mil casos ativos de Covid-19, que correspondem ao número de pessoas com potencial de transmiss√£o do vírus. A última vez que a cidade teve um índice menor que mil foi em junho do ano passado.

De acordo com os dados do Painel Covid-19, da Secretaria Municipal da Saúde, o número de casos ativos diminuiu 92% em um ano. Em 8 de dezembro de 2020, exatamente um ano atr√°s, a cidade possuía 14.112 casos ativos.

“A gente repercute isso como uma excelente notícia neste momento, porque se a gente voltar um ano atr√°s nessa data nós est√°vamos no olho do furac√£o, com mais de 14 mil casos ativos. Se a gente pegar 8 de dezembro de 2020, veremos um número absurdo, foi aquela onda do final do ano em dezembro que assustou todo mundo, foi um Natal triste para família e todos os profissionais de saúde. Ent√£o, a gente comemora esse dado de hoje, mas com a cautela de muita gente que n√£o tomou a vacina”, avaliou a secret√°ria.

Hu√ßulak atribui a redu√ß√£o de casos ao índice de vacina√ß√£o. Curitiba chegou nesta quarta-feira a 80,6% da popula√ß√£o vacinada, ao menos, com uma dose. Em rela√ß√£o à popula√ß√£o completamente imunizada (com duas doses ou dose única), a cobertura chega a 72,8%

“N√£o basta eu estar imunizado, eu preciso que a pessoa que eu convivo também esteja. Quanto mais pessoas vacinadas, maior ser√° a prote√ß√£o da sociedade como um todo. Essa baixa de números de casos ativos, de positividade, de casos novos, de interna√ß√£o, é por causa da vacina. A gente tem um dado que 83% dos óbitos s√£o em pessoas n√£o imunizadas. Ent√£o, a vacina é prote√ß√£o, é necess√°ria. É importante que, se a pessoa n√£o quer acreditar na vacina, a sociedade voltou ao normal, todo mundo voltou a conviver, só isso j√° é um argumento suficiente”, refor√ßou.

Fonte: Banda B

Tags:   Saúde
Comunicar erro
CAMES

Coment√°rios

Pintando o SeteAzul