Vai dar certo

Ministério da Saúde suspende contrato da Covaxin

Por Mais Ceará em 29/06/2021 às 18:54:41

O Ministério da Saúde anunciou, nesta ter√ßa-feira, 29, que vai suspender temporariamente o contrato da vacina Covaxin. A decis√£o foi tomada após recomenda√ß√£o da Controladoria Geral da Uni√£o (CGU). Em nota, a pasta afirmou que a an√°lise preliminar da CGU n√£o encontrou irregularidades no contrato. No entanto, o órg√£o optou por fazer uma an√°lise mais aprofundada. “A medida n√£o compromete o ritmo da campanha de vacina√ß√£o contra a Covid-19 no Brasil, j√° que n√£o h√° aprova√ß√£o da Anvisa para uso emergencial nem definitivo do imunizante”, disse o Ministério da Saúde, em nota. A suspens√£o do contrato da Covaxin ocorre após o depoimento do deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) e de seu irm√£o, Luis Ricardo Miranda, servidor da pasta, na CPI da Covid-19. Os dois apontaram supostas irregularidades na compra da vacina e disseram ter avisado o presidente Jair Bolsonaro.

Em coletiva de imprensa, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que a pasta vai fazer a apura√ß√£o administrativa “para verificar todos os aspectos da tem√°tica suscitada a partir do final da semana passada.” O ministro da CGU, Wagner Ros√°rio, disse que o órg√£o abriu uma investiga√ß√£o preliminar e espera ter uma resposta em menos de dez dias. “Assim que tivermos dados mais concretos comunicaremos a imprensa”, disse Queiroga. “N√£o contamos com esse imunizante, e desde o início da nossa gest√£o j√° tínhamos retirado do PNI a Sputnik e a Covaxin porque n√£o tinham autoriza√ß√£o da Anvisa. Desde o início o presidente disse que todas as vacinas que tivessem registro na Anvisa seriam consideradas para o PNI”, completou.

 

 

 

Fonte: JP

Comunicar erro
CAMES

Coment√°rios

Pintando o SeteAzul