Pintando o SeteAzul

Sa√ļde e Fiocruz avaliam uso de dose √ļnica da vacina de Oxford

Por Mais Ceará em 08/01/2021 às 19:00:32

Desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela farmacêutica AstraZeneca, a vacina ter√° doses produzidas no Brasil pela Fiocruz, que mantém um laboratório no Rio de Janeiro.

Pelos dados de estudos mais recentes, a vacina registrou, com uma dose, 73% de efic√°cia, "além de proteger contra o surgimento de sintomas graves e evitar, em 100%, os casos de hospitaliza√ß√£o".

J√° quando aplicada uma segunda dose após três meses, a produ√ß√£o de anticorpos e resposta imunológica aumenta em cerca de oito vezes, diz a Fiocruz.

Os dados s√£o de nota divulgada pela funda√ß√£o nesta sexta (8), data em que a institui√ß√£o enviou à Anvisa pedido de uso emergencial de 2 milh√Ķes de doses da vacina, as quais devem ser importadas da Índia.

A possibilidade de uso de apenas uma dose da vacina de Oxford foi aventada pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello em entrevista coletiva nesta quinta (7), ao comentar os dados de efic√°cia do imunizante.

"A AstraZeneca é uma dose por pessoa, com cerca de 71% [73%] de efic√°cia para uma dose, para o controle da pandemia. A segunda dose vai a 100% em qualquer caso, podendo tomar de três a quatro meses depois, se for necess√°rio para o controle da pandemia ainda", disse.

No encontro, ele frisou a previs√£o da Fiocruz de ter 102,4 milh√Ķes de doses no primeiro semestre e 110 milh√Ķes no segundo. "Se ficarmos com uma dose, nosso país tem 210 milh√Ķes de habitantes. Fa√ßam o c√°lculo", disse, citando o que apontou como vantagens do imunizante frente a outras vacinas.

Pazuello, porém, n√£o deixou claro se a medida j√° era avaliada e deixou o encontro sem responder perguntas da imprensa. Ao mencionar a previs√£o de custos da vacina, no entanto, ele apontou c√°lculos que envolveriam apenas uma dose.

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Segundo membros da pasta ouvidos pela reportagem, embora a previs√£o seja de aplica√ß√£o de duas doses, outros cen√°rios também devem ser analisados.

Questionada após a entrevista coletiva desta quinta (7), a Fiocruz informou que a defini√ß√£o do regime de doses cabe ao Programa Nacional de Imuniza√ß√Ķes.

Para o vice-presidente de inova√ß√Ķes da institui√ß√£o, Marco Krieger, a possibilidade de debater o tema é natural.

"Com uma dose, j√° tem uma efic√°cia grande. Os dados clínicos mostram que aumenta em mais de sete vezes o título de anticorpos com uma segunda dose, que é o refor√ßo. Mas todo mundo discute isso no mundo: se n√£o vale apenas usar só uma dose. Por enquanto, na bula, no Reino Unido e no Brasil, estamos falando em uma dose e refor√ßo após três meses. Mas é possível que essa situa√ß√£o evolua, n√£o só no Brasil, porque é uma situa√ß√£o de emergência", disse.

Para Krieger, no entanto, o intervalo de três meses para refor√ßo, verificado nos estudos mais recentes, j√° traz vantagens ao permitir "vacinar mais r√°pido e muito mais gente" do que com outros intervalos.

Em nota divulgada logo após anunciar o pedido de uso emergencial da vacina, a Fiocruz informou ainda que "a vacina é capaz de induzir a produ√ß√£o de anticorpos em 98% das pessoas após a primeira dose e, em 99% delas, após a segunda dose, o que demonstra a alta taxa de soroconvers√£o".

Questionado oficialmente pela reportagem, o Ministério da Saúde informou que "analisa todos os cen√°rios para garantir uma vacina√ß√£o com qualidade, seguran√ßa e efic√°cia para popula√ß√£o brasileira".

"Os estudos disponíveis ainda n√£o chegaram a uma conclus√£o definitiva se apenas uma dose é suficiente para manter a longo prazo o grau de imunidade. Por isso, a pasta permanece acompanhando de perto as an√°lises que s√£o construídas diariamente para avaliar as estratégias de imuniza√ß√£o e o intervalo de aplica√ß√£o", informa.

Até que isso ocorra, a pasta diz ainda que ir√° seguir as orienta√ß√Ķes dos laboratórios produtores quanto a aplica√ß√£o das doses das vacinas.

"É importante deixar claro que o fato de uma dose apresentar boa efic√°cia n√£o significa necessariamente que n√£o se deva aplicar a segunda dose. Refor√ßamos que essa determina√ß√£o ser√° seguida conforme a bula das vacinas."

Publicado primeiro em Banda B ¬Ľ Saúde e Fiocruz avaliam uso de dose única da vacina de Oxford

Fonte: Banda B

Comunicar erro
CEP

Coment√°rios