Pintando o SeteAzul

R√ļssia projeta vacina 95% eficaz e a metade do pre√ßo das concorrentes

Por Mais Ceará em 24/11/2020 às 10:17:28

A Rússia é o quinto país do mundo em número de casos da doen√ßa, com 2,1 milh√£o de infec√ß√Ķes, e vive uma segunda onda severa. J√° morreram 37 mil pessoas, número proporcionalmente baixo –s√£o 254 mortes por milh√£o de habitantes, ante 795 no Brasil, terceiro colocado do ranking de casos.

Os dados foram obtidos 28 dias depois da primeira dose, 7 dias após a segunda. Nesse grupo, houve 39 casos confirmados de infec√ß√£o da Covid-19, apenas 8 em pessoas que haviam de fato recebido o imunizante.

Os dados preliminares após 42 dias da primeira dose, 21 após a segunda, indicaram uma prote√ß√£o ainda maior, de 95%, mas eles n√£o foram disponibilizados ainda. Eles ser√£o enviados para revis√£o em artigo para uma publica√ß√£o científica internacional, provavelmente a mesma The Lancet brit√Ęnica que j√° editou outros estudos com a vacina.

Entre esses volunt√°rios e os outros 22 mil que ainda est√£o na primeira dose, n√£o houve eventos adversos ou efeitos colaterais graves registrados, segundo o Gamaleya.

"Os dados comprovam o que encontramos nos estudos até aqui, uma efic√°cia de 91%-92%. Esperamos dados ainda melhor depois que os volunt√°rios que receberam a segunda dose tenham mais tempo para seus corpos reagirem", afirmou o diretor do Gamaleya, Alexander Gintsuburg.

O patrocinador da Sputnik V, o Fundo Direto de Investimento Russo, anunciou que a Hungria se uniu à rede de fabricantes potenciais, tornando-se o primeiro país da Uni√£o Europeia a associar-se aos russos. Em entrevista à Folha h√° dois meses, seu presidente, Kirill Dmitriev havia dito que estava em negocia√ß√Ķes com europeus e americanos.

Nesta ter√ßa (24), Dmitiriev afirma que ele custar√° metade do pre√ßo da maioria de seus competidores ocidentais -tudo depende de cada acordo de produ√ß√£o, mas a vacina da Pfizer (EUA) sai por US$ 19,50 (R$ 105 hoje) cada uma de suas duas doses, enquanto a também americana Moderna custa US$ 25 (R$ 136) cada uma das duas inocula√ß√Ķes necess√°rias.

Ele afirmou que o valor pode ficar abaixo dos US$ 10 (R$ 54), a depender do arranjo. Os cidad√£os russos n√£o pagar√£o nada.

No caso do contrato da Coronavac com o Butantan, a dose sai a US$ 10,4 (R$ 57). J√° no acordo da AstraZeneca com o governo federal, sai a US$ 19 (R$ 103). Mas ambas incluem transferência de tecnologia para produ√ß√£o local –no caso da Fiocruz, a estimativa era de um custo pouco acima de US$ 3 (R$ 16) por dose.

A Sputnik V foi vista inicialmente como um grande golpe publicit√°rio do governo de Vladimir Putin, devido ao anúncio de que ela havia sido a primeira a ser registrada no mundo, em agosto. Até seu nome remonta ao sucesso do primeiro satélite artificial, lan√ßado pelos soviéticos em 1957 para assombro do mundo.

Na realidade, era uma autoriza√ß√£o emergencial para uso na popula√ß√£o civil, mas n√£o h√° a vacina√ß√£o em massa sugerida pelo anúncio -e sim uma expressiva fase 3, a final, além da imuniza√ß√£o emergencial de pessoal médico. Isso levou a diversas críticas na comunidade científica, desprezadas pelo fundo soberano como exemplos de russofobia.

O sucesso dos dados preliminares, contudo, levou diversos países a assinarem acordos para fornecimento do imunizante, inclusive no Brasil -Paran√° e da Bahia têm entendimento para a compra da Sputnik e, no caso do estado sulista, eventual produ√ß√£o local.

Ainda n√£o h√° ensaios clínicos no Brasil, cujo Ministério da Saúde tem uma carta de inten√ß√Ķes para eventual compra do produto russo.

Eles ocorrem também na Índia, Belarus, Emirados √Ārabes e Venezuela, entre outros países. Segundo Dmitriev, presidente do fundo soberano russo, h√° 1,2 bilh√£o de doses encomendadas do imunizante, embora a capacidade de produ√ß√£o dependa de acordos com outros países.

A vantagem competitiva que os russos dizem ter é na forma de aplica√ß√£o das doses: s√£o usados dois vetores diferentes, adenovírus causadores de resfriado em humanos, que j√° s√£o usados h√° décadas em medicamentos e formam a base da vacina contra o ebola.

As vacinas de Pfizer e da Moderna usam uma técnica inovadora na qual a proteína da espícula que une o vírus às células é levada para produzir resposta imune por meio de material genético (RNA mensageiro). J√° os chineses da Coronavac usam o tradicional vírus inativado para a mesma rea√ß√£o.

Publicado primeiro em Banda B ¬Ľ Rússia projeta vacina 95% eficaz e a metade do pre√ßo das concorrentes

Fonte: Banda B

CEP

Coment√°rios