Pintando o SeteAzul

Cláudio Castro muda secretários e comando da Polícia Civil no RJ

Por Mais Ceará em 15/09/2020 às 06:51:27

A aguardada reforma no secretariado estadual do Rio de Janeiro come√ßou a sair do papel nesta segunda-feira (14) pelas m√£os do governador em exercício Claudio Castro, em mais um sinal de que ele pretende ficar no cargo por muito tempo. O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, est√° afastado por decis√£o do STJ por 180 dias e pode ser afastado também por determina√ß√£o da Alerj. Até o momento foram quatro trocas promovidas por Castro de uma só vez. A principal delas aconteceu no comando da Polícia Civil: o delegado Allan Turnowski est√° de volta.Ele é um velho conhecido por j√° ter comandado a corpora√ß√£o no passado. Em 2011, no entanto, ele precisou prestar esclarecimentos à Polícia Federal durante uma opera√ß√£o contra policiais civis e militares fluminenses suspeitos de liga√ß√£o com trafico de drogas e grupos milicianos. Na época, 30 policiais foram presos. Turnowski chegou a ser citado nas investiga√ß√Ķes e, logo depois, pediu exonera√ß√£o do cargo.

Leia também

Pais e funcionários reclamam de indefinição sobre reabertura de escolas privadas no Rio

MPF denuncia Wilson Witzel, esposa e mais 10 pessoas por organização criminosa

Relator d√° parecer favor√°vel a impeachment de Witzel na Alerj

O governador em exercício trocou também os comandos da Procuradoria do Estado, do Gabinete de Seguran√ßa Institucional e da Controladoria do Rio de Janeiro. O órg√£o ficou mais importante nos últimos meses porque passou a apurar irregularidades, fraudes e desvios em contrata√ß√Ķes feitas pelo governo fluminense. As expectativas s√£o de que Claudio Castro promova novas mudan√ßas no secretariado nos próximos dias. Ele também é suspeito em irregularidades na época que era vereador do município. O nome dele chegou a ser citado em opera√ß√£o da Polícia e MPF-RJ na semana passada. Essa opera√ß√£o prendeu o secret√°rio estadual de Educa√ß√£o, Pedro Fernandes, e Cristiane Brasil. No ano passado, no inicio do governo Witzel, uma funda√ß√£o suspeita de participar desses esquemas, a Le√£o XIII, passou a ser comandada pelo ent√£o vice-governador Claudio Castro. Um aditivo de contrato de mais de R$ 20 milh√Ķes com uma empresa investigada na opera√ß√£o também lan√ßa suspeitas contra o governador em exercício — que nega envolvimento em irregularidades.

*Com informa√ß√Ķes do repórter Rodrigo Viga

Fonte: JP

CEP

Coment√°rios