Pintando o SeteAzul

Anízio Melo e o Movimento 65 - Eleições 2020 em Fortaleza

Por Luiz Cláudio Ferrera Barbosa

Por Mais Ceará em 05/08/2020 às 21:11:13

O militante do PC do B, o professor Anízio Melo, deverá construir o perfil político-eleitoral do Movimento 65, no município de Fortaleza, no pleito eleitoral de 2020. O governador do Maranhão, Flávio Dino, deverá ser candidato a presidente da República, nas eleições de 2022, num posicionamento de centro-esquerda no espectro ideológico brasileiro de contraponto ao lulopetismo. Flávio Dino tem interesse de atrair os setores progressistas da sociedade civil, por isso a necessidade da criação de um movimento partidário, com característica transversal ou horizontal, para os seus participantes.

O diretório municipal do PC do B sempre teve a característica de construir uma aliança eleitoral favorável ao campo democrático ,no final do século XX, pois em 1988 apoiou a candidatura do deputado estadual, Edson Silva (PDT), para prefeito de Fortaleza. Já no pleito eleitoral de 1996, o deputado federal Inácio Arruda, foi o candidato do PC do B, com o apoio do Partido dos Trabalhadores ao cargo de chefe do executivo da capital cearense. Os comunistas fortalezenses sempre estiveram a frente das principais chapas progressistas, na cidade de Fortaleza, nas últimas três décadas.

O deputado federal, Inácio Arruda, ainda teve duas candidaturas a prefeito de Fortaleza, com grande vantagem competitiva, em 2000 e 2004. Inácio Arruda liderou a primeira coligação de centro-esquerda (PC do B-PT-PDT e PSB) da história política fortalezense, no pleito eleitoral de 2000. Inácio Arruda obteve no pleito eleitoral de 2004, a terceira colocação no primeiro turno e foi uma vitória moral do PC do B, pois dois anos depois agremiação comunista elegeria o seu primeiro senador no Ceará e no Brasil. A derrota da candidatura do senador Inácio Arruda (PC do B) é fruto do voto útil lulopetista a candidatura petista, no pleito eleitoral de 2012, em Fortaleza.

O PC do B foi muito importante no início do período lulista no estado do Ceará, com a participação de vários técnicos comunistas, nos principais escalões administrativos do Governo Federal, em solo cearense. Esses quadros permaneceram até o último dia do fim prematuro do mandato da presidente, Dilma Rousseff (PT), no primeiro semestre de 2016. O PC do B esteve presente na administração municipal de Fortaleza, nos últimos dezesseis anos, pois participou no mandato da ex-prefeita, Luizianne Lins (PT), assim como ainda participa da gestão do prefeito Roberto Cláudio (PDT). Os comunistas estão presentes nas últimas quatro administrações do Governo Estadual do Ceará (2007-2020), em áreas estratégicas como Ciência e Tecnologia. Os prefeitos do PC do B são bem avaliados pela população cearense.

A candidatura do professor, Anízio Melo, não é fruto somente de uma simples conjuntura eleitoral do diretório municipal de Fortaleza do PC do B, mas sim de um acúmulo de experiências nas administrações públicas onde ocuparam quadros técnicos nos últimos vinte cinco anos. Anízio Melo tem uma bandeira muito importante na sua vida pessoal ou de militante social, que é a defesa da educação básica. O tema sobre os desafios da área da educação no município de Fortaleza, sem dúvida será quase monopólio discursivo do candidato a prefeito de Fortaleza do Movimento 65 ou PC do B.

No pleito eleitoral de 2000 para o cargo de prefeito de Fortaleza, o principal segmento que votou na candidatura do PC do B tinha entre 16 anos até 34 anos, com renda mensal de dois até cinco salários mínimos. No pleito eleitoral de 2020 esse mesmo público, já está numa média de idade entre 36 anos até 54 anos, com grande possibilidade de estarem sem uma renda fixa, em função da falência de parte do setor produtivo de Fortaleza, por causa dos efeitos negativos do Covid-19, na área econômica. O candidato do Movimento 65, Anízio Melo, tem compreensão da migração de estudantes do setor privado para o setor público, nos próximos dias, e percebeu como isso pegou as escolas municipais públicas de Fortaleza, sem um planejamento, para enfrentar esse desafio sem precedentes na educação básica.

Anízio Melo precisa dialogar com a nova pauta educacional dos membros da classe média fortalezense que foram jogados, para abaixo da linha da pobreza. O fechamento de várias escolas particulares já é fato no dia-a-dia do cidadão fortalezense, e particularmente nas nossas periferias. Anízio Melo deveria se dedicar a essa bandeira, em particular, nesse período de pré-campanha, como representante dos milhares de fortalezenses que irão precisar colocar os seus filhos, nas escolas públicas de Fortaleza e do Governo Estadual do Ceará.

O Movimento 65 ou PC do B poderia tentar esquecer a polarização política nacional, e simplesmente sair na defesa dos novos pobres brasileiros pós-pandemia ou pós-Covid (19). O governador maranhense, Flávio Dino, precisa fortalecer o palanque do Movimento 65, em Fortaleza, pois um bom resultado eleitoral do seu candidato (Anízio Melo), no primeiro turno, sem dúvida vai forçar o grupo político do ex-governador, Ciro Gomes, em refazer novo pacto municipal entre o PC do B e o PDT, para o segundo turno. Anízio Melo precisa colocar a sua experiência como professor da rede pública, assim como a experiência administrativa do PC do B, como porto seguro para esse grande contigente da classe média fortalezense, que vai precisar do Movimento 65, como um fórum político-eleitoral de discussão de políticas públicas, em Fortaleza, no pleito eleitoral de 2020.

Luiz Cláudio Ferreira Barbosa, sociólogo e consultor político

CEP