Vai dar certo

O que as mulheres merecem? Respeito.

Por Dr Alex Curvello

Por Mais Ceará em 18/07/2021 às 05:25:56

Toda mulher deve ser respeitada, acima de tudo, em todos os sentidos, além de salva, em qualquer circunstância, seja por violência psicológica, patrimonial ou física.

O assunto do dito "artista" que agrediu a mulher já passou um certo tempo, entretanto, lamentavelmente, se mantém atual, diante das atrocidades diárias que muitas mulheres brasileiras vem passando.

Lembrando que, não é o mundo que está doente, mas parte da humanidade, a violência contra a mulher não é de hoje, vergonhosamente existe há muitos anos.

Não existe um perfil para um psicopata, o ser, pode ser seu vizinho, um escritor, ator, dentista ou até um suposto DJ que faça sucesso, o que nos leva a observação de como não devemos endeusar ninguém.

É importante lembrarmos que tudo isso aconteceu na terra de Maria da Penha, o símbolo da luta contra os criminosos covardes, qualquer pesquisa básica mostrará que os números são absurdos da quantidade de denúncia de violência contra a mulher em nosso país.

A jornada feminina já é desigual desde o nascimento, quando nasce um menino a frase é "segurem suas cabras que meu cabrito está solto", quando nasce uma menina é "minha princesa, ninguém vai encostar nela" é assim cresce o "cabrito", acreditando e vendo já nos livros infantis o homem das cavernas puxando a mulher pelos cabelos e crendo que tudo é "normal", quando na verdade é preconceituoso e doentio.

A técnica de todo agressor, seja a agressão física, psicológica ou patrimonial é quase sempre a mesma; batem, torturam, ameaçam deixar sem nada, tirar as crianças, diminuem a mulher até ela mesmo acreditar que está ficando louca.

E ainda tentam se justificar, não existe justificativa viável para tais atrocidades, existe a lei e os rigores da lei.

A agressão física quase sempre se antecede a psicológica, certos criminosos covardes conseguem destruir o emocional feminino, para depois partirem pra o embate físico, onde de forma absurda chegam as vias de fato, com agressões constantes.

A violência patrimonial ainda é "aceita" em determinadas famílias, aquele homem machista que acredita que todo o ganho da família lhe pertence, que não deve nada a mulher em um possível divórcio, além de muitas vezes usarem os filhos pra dizer que a mulher ficará sem nada, para tentar um acordo irrisório na justiça, ou até uma alienação parental com a criança para que a mulher desista de ter uma vida livre, até porque ao lado de criminosos covardes, torna-se uma prisão.

Como advogado já presenciei, sem aceitar determinados clientes, com frases como; "quero só dar uma lição nela, vamos colocar a pensão do menino lá embaixo, que dou um pouco a mais por fora" ; "não meu amigo, isso tudo é meu, eu que trabalhei, ela ficou só em casa sem fazer nada, não vou dividir nada não"; onde deixei de ganhar o dinheiro para não advogar para machista e advoguei "pro bono" para as ex mulheres desses covardes.

Ser mulher no Brasil, desde o nascimento é algo desafiador, todo meu respeito e solidariedade para todas que se sentem diminuídas e ameaçadas constantemente.

Aqui quero deixar meu registro para dois exemplos de mulheres, lindas, fortes e corajosas, que mesmo diante de muitas covardias seguiram seus sonhos, com seus filhos e contra muitos, minha esposa Ana Karla e minha mãe Eliane, todo carinho e respeito, amo vocês.

Tudo isso é a ponta de um iceberg de um enorme problema social, você agredida ou que escuta suposta agressão, não se cale, denuncie.

Saibam e acreditem, não bateu, mas proibiu de uma vida social, não deixa você usar certa roupa, faz "brincadeiras" machistas, te humilha com palavras ou te faz se sentir culpada, tente fugir desse abuso, sentimento não é posse, domínio, muito menos ciúme, algo animalesco que perde-se o controle. Já nos cantou Raul Seixas "…Amor só dura em liberdade

O ciúme é só vaidade…" que todas as mulheres possam ser livres.

Tire sua covardia do caminho que quero passar com o meu respeito, força mulher brasileira, a luta sempre continua.



Fonte: Dr Alex Curvello

CAMES
Pintando o SeteAzul